Irmãos e irmãs do Kombuchá em todo o mundo
© Günther W. Frank

Traduzido por Milton Kuhn - Blumenau - SC, Brasil •  E-mail miltonkuhn@brturbo.com

O Kombuchá tem irmãos e irmãs ao redor de todo o globo terrestre. Sociedades vivas semelhantes de leveduras e bactérias são utilizadas por pessoas em todo mundo desde tempos imemoriais para a preparação de bebidas e alimentos estimuladores da saúde e empregadas para seu bem-estar.

Assim lemos na Bíblia (Rute 2,14) que o grande proprietário agrícola Booz convidou a moabita Rute, que mais tarde tornou-se sua esposa, na colheita de grãos:
"Vem cá e come um pouco de pão e mergulha teu bocado na bebida de vinagre! E ela se sentou ao lado dos ceifadores; e êle lhe alcançou cereal torrado e ela comeu e se saciou e ainda sobrou." - Este informe bíblico que fala do tempo de cerca de 1000 anos antes de Cristo, nos dá não somente uma indicação dos exemplares hábitos alimentares de então, embora modestos segundo os nossos conceitos. Vê-se que já em tempos antigos eram preparadas bebidas contendo ácido láctico, preparadas com microorganismos, que serviam para fornecer às pessoas como fonte de energia e refresco durante os duros trabalhos da colheita .

Também é conhecida a bebida fermentada "kvass", uma meia-cerveja ácida, que é feita na Rússia de farinha de centeio e malte ou de farelo de trigo e farinha ou de pão preto e maçãs, que se deixa fermentar na água, e que se guarnece com diversos outros ingredientes. O "kvass" russo contém principalmente ácido láctico. Em hospitais militares russos cada paciente recebe diariamente um litro de "kvass", escreve o Prof. Lindner. Uma receita para pão de "kvass" você encontra aqui, em língua   inglesa.

Talvez se lembrem vários leitores que na Suíça há décadas, em muitas famílias, era produzida uma bebida caseira espumante e refrescante de nome TIBI. Não era utilizado chá como no caso do Kombuchá, mas água adoçada à qual se acrescentava passas de figo e  uva e às vezes uma rodela de limão. O agente da fermentação era uma cultura mista de leveduras e bactérias, mas de tipo diferente do que no Kombuchá. Os agentes de fermentação eram grãozinhos brancos de forma e tamanho irregular (em média de a 1 cm de diâmetro), que lembravam um pouco o arroz cozido. Estes grãozinhos já eram conhecidos em Paris em 1890 sob a denominação "grains vivants" (grãos vivos) ou Tibi.

Desde alguns anos circula no leste, e desde a reunificação, também na parte oeste da Alemanha, um material que é idêntico aos cristais Tibi suíços. Ele é denominado "cristais marinhos japoneses". Os nódulos esbranquiçado-transparentes são cultivados na água e "alimentados" com um pouco de açúcar e algumas passas ou figos secos. Com isto eles causam uma fermentação intensiva e se multiplicam. Os "cristais japoneses" são chamados de "quefir da água" na França (e também na Alemanha). Os produtores de vinho franceses os aproveitam "para a saúde e para a melhoria da água".

Quefir da água é uma simbiose de lactobacillus brevis, streptococcus lactis e saccharomyces cerevisae. Outros autores citam betabacterium vermiforme e saccharomyces pastorianus como principais integrantes da cultura, conquanto ainda possam ocorrer outros tipos de bactérias e leveduras, uma vez que se trata de uma cultura mista.

Em oposição à fermentação do Kombuchá, no caso do quefir da água, forma-se principalmente ácido láctico. O processo de fermentação é diferente. A fermentação do Kombuchá: aeróbica (= com oxigênio), a fermentação do quefir da água: anaeróbica (sem a presença de oxigênio). Na fermentação do Kombuchá resultam, portanto, outros produtos, entre eles, principalmente, o ácido glucurônico que é valioso em razão de sua ação desintoxicante. Eu tenho o Kombuchá na conta de mais valioso.

Para mais exemplos de especialidades em ácido láctico citem-se:

Muitos destes produtos naturais que, como o Kombuchá, na maior parte das vezes, a gente mesmo pode preparar, acionam o metabolismo, limpam e desintoxicam . Eles estabilizam a saúde e aumentam a capacidade de resistência.

  Mais a respeito de Quefir: a página do quefir de Dominic N. Anfiteatro, Australia.


Procura rápida
Livros  Alemão USA
Música Pop Clássica
O "Jornal do Kombuchá" é um serviço gratuito. Apóie esta página encomendando todos os seus livros pelo preço original de varejo (a partir de 20 €) através deste Link:
 Livraria pela Internet Amazon.de 

A Livraria Alemã pela Internet Amazon oferece
 uma imensa variedade em títulos alemães e americanos.
 Entrega rápida a domicílio.
 30 dias com direito a devolução.


O Jornal do Kombuchá está em 29 línguas :
Choose your language - Waehlen Sie Ihre Sprache - Choisez votre langue:
[Inglês]    [Alemão]    [Francês]   [Espanhol]    [Italiano]   [Holandês]    [Norueguês]   [Dinamarquês]   [Sueco]    [Português]   [Eslovaco]    [Tcheco]    [Esloveno]    [Hebraico]    [Iraniano]   [Esperanto]   [Croata]   [Finlandês]    [Romeno]   [Húngaro]   [Grego]   [Indonésio]   [Búlgaro]   [Ucraniano]   [Coreano]  [Polonês]   [Russo]   [Chinês]   [Árabe]


Buch Kombucha        Retôrno à página principal em português  

      Retôrno à página principal multilíngue

www.amazon.de Você pode encomendar o livro "Kombucha - Das Teepilzgetränk" sem despesas de expedição (a partir de 20 €) pela Livraria pela Internet Amazon.de alemã. O livro está disponível e, em regra, é remetido em 24 horas. Eu pessoalmente apenas posso recomendar a www.amazon.de e eu mesmo compro lá.

©   Copyright   Günther W. Frank 1996, 1997
URL desta página: www.kombu.de/port-9.htm (Kombucha Journal)

Por favor envie indicações e sugestões de melhoria (correções, referências a Links interessantes) por E-mail a frank@kombu.de

• Impresso •